Santo Antônio, grande homem, amigo de Deus e das pessoas. Fiel discípulo de Cristo e seguidor atento. Antônio nasceu em Portugal, no ano de 1195, sendo batizado com o nome de Fernando. Foi nomeado sacerdote no ano de 1220. Faleceu em Pádua no dia 13 de junho de 1231. Viveu em Portugal, na Itália e na França. Destacou-se como teólogo, místico e por ser devoto e dedicado a orações e privações.

Após sua canonização (santificação) recebeu ainda o título de doutor da igreja, por grande demonstração e vivacidade de seus ensinamentos e de seu testemunho de fé e de amor a Cristo e à sua Igreja.

A sua vida foi marcada por muitos fatos milagrosos e alguns deles ocorreram ao longo de sua vida e muitos outros após sua morte. Talvez sejam estes inúmeros fatos que fizeram de Antônio um dos santos mais populares da História do Cristianismo.

Além da fama popular de santo casamenteiro, Santo Antônio tem também a tradição de ser “o santo das coisas perdidas”. Sempre preocupado com as necessidades de seu povo, especialmente os mais pobres, Santo Antônio inspirou a obra assistencial do "pão dos pobres", uma instituição preocupada em favorecer o pão para os mais pobres. Esse aspecto social acompanha a Igreja em toda a sua história.

Muitas são as formas de devoção á Santo Antônio: orações, novenas, medalhas, o "pão de santo Antônio", entre outros. As paróquias e capelas dedicadas ao santo estão repletas de tradições que ajudam o povo a viver a vida cristã inspirados no exemplo de Santo Antônio.

Santo Antônio é o símbolo de casamentos que deram certo.

Mas a verdade sobre a história do santo ‘casamenteiro’ pouca gente sabe: unir os casais não foi o maior feito de sua vida e seu nome de batismo não é Antônio. A fama de casamenteiro começou porque Santo Antônio casava muitos pobres de sua época sem exigir nenhuma contribuição financeira para a igreja, como era costume na época.

 Mas a história mais conhecida, que deu fama à Santo Antônio, é de uma jovem que queria encontrar um marido e por isso fazia todos os dias orações e colocava junto à imagem de Santo Antônio flores que ela mesma colhia em seu jardim. Já cansada de esperar, um dia a jovem atirou a imagem do Santo pela janela! O objeto caiu então na cabeça de um rapaz que se apaixonou por ela e mais tarde os dois se casaram. Antes de morrer, Santo Antônio prometeu que nunca deixaria de atender um pedido dos fiéis. Com os anos, surgiram simpatias em relação a imagem do santo. No entanto, segundo a fé católica tais coisas são heresias.

História

A verdade é que Santo Antônio foi um grande anunciador do Evangelho. O grande exemplo que deixou foi o de uma vida coerente com aquilo que se prega. Nasceu em 15 de agosto de 1195, em Lisboa, Portugal, ele recebeu no batismo o nome de Fernando. Teve uma vida farta e estudou nos melhores escolas. Mas depois ingressar na vida religiosa na Ordem dos Cônegos Regulares de Santo Agostinho, o jovem  sacerdote pediu para ser transferido para Coimbra a fim de ficar longe do assédio da família que não aceitava sua escolha pela pobreza. Em Portugal, conheceu conheceu a família dos Franciscanos e se encantou pelo testemunho dos mártires em Marrocos, além da vida itinerante na pobreza. E é na ordem dos franciscanos que Fernando adota o nome de Antônio.